Banda 16 de Agosto realiza apresentações em Teresina

Nesta quinta-feira (23), às 9h, a Banda 16 de Agosto se apresentará, no bairro Matadouro, na zona Norte de Teresina, como parte de uma ação da Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultural Monsenhor Chaves (FMC), que leva música para todos os pontos da cidade. A banda também se apresenta, na sexta-feira (24), no evento do Orçamento Popular, que ocorrerá no Centro da cidade.

No último final de semana, atrações circenses, a Orquestra de Violões e a Banda 16 de Agosto estiveram se apresentando ao público visitante do Parque da Cidadania, também como parte do projeto.

Ao longo deste mês, a banda já realizou cerca de 12 apresentações, todas gratuitas e com o intuito de oferecer cultura de forma igualitária para todos os teresinenses. Por conta do período junino, todas essas apresentações estão sendo temáticas, uma forma encontrada pela banda para se aproximar ainda mais da população.

De acordo com o maestro Rocha Sousa, a Banda 16 de Agosto tem um papel muito importante para a cidade, pois além de oferecer ao público momentos de lazer, por meio de suas canções, ela também atua na formação de novos profissionais. Para o maestro, este retorno das apresentações públicas está sendo bem gratificante, pois pessoas que antes não conheciam o trabalho da banda, passaram a acompanhar de perto as apresentações.

“Além das apresentações promovidas pela Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, a Banda 16 de Agosto também tem participado da abertura de diversas solenidades públicas realizadas pelos órgãos da gestão municipal. Aos teresinenses, fica o convite para acompanhar uma dessas apresentações que realizaremos neste final de semana, são todas gratuitas e lá o público terá acesso a música de qualidade”, comenta o maestro Rocha Sousa.

Para mais informações sobre o trabalho desenvolvido pela Banda 16 de Agosto, basta acessar o site cultura.pmt.pi.gov.br ou seguir a página cultura_the no Instagram.

Orquestra Sinfônica de Teresina realizará concertos no Centro de Convenções

A temporada de 2022 da Orquestra Sinfônica de Teresina foi aberta no dia 24 de março com um concerto trailer no Sesc Cultural. Dando seguimento a agenda de concertos, a OST se apresentará no próximo dia 03 de abril no Teatro do Centro de Convenções de Teresina (CCT), a partir das 20h, dentro da agenda de eventos preparada para o mês de abril.

O espetáculo, construído para essa performance, reunirá as melhores apresentações já realizadas pela orquestra e estará sob a regência do maestro e diretor, Aurélio Melo. Para o maestro, o retorno dos concertos está sendo bem aceito pelos músicos e também pela população teresinense.

“Este será um concerto especial, vamos trazer uma mistura de ritmos e vozes junto com nossos instrumentos. Uma mistura bem bacana que temos certeza que agradará o público”, reforça o maestro Aurélio Melo.

Para viver esta experiência é necessário adquirir o ingresso que já está à venda nas Lojas da Kalor Produções (Riverside e Shopping Rio Poty) ou no site Ingresse.com (ingressos online). Estão disponíveis três espaços: Plateia A, Plateia B e Mezanino; com valores que variam entre R$ 30,00 (meia) e R$ 80,00 (inteira).

A Orquestra Sinfônica de Teresina realiza um forte trabalho de popularização da música erudita através da execução de canções populares, é mantida pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, isso com a finalidade de desenvolver um trabalho artístico-educacional, promovendo apresentações em teatros, colégios e praças.

Jovens mulheres enfrentam desafios para se dedicarem a música

Quem acompanha a música, sabe das dificuldades que sempre foi encontrar mulheres instrumentistas, já que elas ainda estão em um número bem pequeno, isso comparado ao universo masculino que ainda domina o mercado musical. Na capital do Piauí, um projeto que é desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Teresina (PMT), por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC), na periferia da cidade, vem mudando essa realidade, pois está colocando cada vez mais um número maior de jovens mulheres no mercado de trabalho.

O Projeto Banda Escola atua diretamente em oito comunidades, beneficiando dezenas de crianças e jovens, muitos destes de famílias carentes e que não dispõem de recursos para financiar cursos na área da música, que custam caro e geralmente são realizados em locais distantes. Além dos alunos do sexo masculino, o projeto conta com 30 jovens mulheres, sendo que algumas delas já atuam profissionalmente no mercado, tendo até exemplo de uma ex-aluna que hoje é professora e se dedica a repassar seus ensinamentos para os jovens.

Brenda Souza foi aluna do professor Micael Fidelis na Banda Escola Heitor Villa-Lobos, que atua no bairro Piçarreira zona leste de Teresina. Ela começou meio que tímida, mas com o passar dos tempos, foi se destacando e atualmente é professora da banda na qual foi aluna. Brenda destaca que por atuar diretamente na periferia, o projeto funciona como uma espécie de proteção aos jovens em situação de risco e que muitos são os casos onde os jovens saíram da criminalidade e hoje vivem da música.

“Hoje, assim como antigamente, a cultura, a banda de música, tem um papel fundamental na formação profissional e da integridade de caráter das crianças, já que a maioria delas vivem em situação de risco de vulnerabilidade social. As jovens atendidas pelo projeto vivenciam algo novo, uma experiência que muda vidas, e isso é muito gratificante para quem trabalha diretamente nessa linha de frente”, conta Brenda Souza, evidenciando a importância do Projeto na vida de diversas crianças e adolescentes das mais diversas comunidades da cidade.

PRECONCEITO E DESAFIOS

 

Outro exemplo de superação vem da Banda Escola Maria Yeda Cada, na Vila Irmã Dulce, zona Sul de Teresina, onde estuda a jovem Irislene Rocha, de 22 anos, aluna do Professor Vitalino Luz, e que desde os nove anos de idade, vem lutando pelo sonho de tocar um instrumento musical. Irislene toca saxofone, ela conta que o primeiro desafio foi enfrentado dentro de sua própria casa, onde seu pai era totalmente contra a ideia de ver uma mulher tocando um instrumento musical.

Sem se abater com as críticas, Irislene correu atrás de seus sonhos e conquistou uma formação técnica na sua área musical. Casada com um músico, ela aguarda a chegada do primeiro filho, e garante que continuará como aluna no projeto, mas que em breve pretende buscar novos desafios, assim como fez a jovem Brenda Sousa.

“Meu pai veio de outra geração, onde naquele tempo o machismo era dominante, mas todo esse preconceito foi embora quando ele me viu tocando pela primeira vez, fato que fez ele passar a sentir orgulho de me ter como filha, já que eu também comecei a ganhar dinheiro com a música”, conta Irislene Rocha, que após receber a aprovação do pai, teve que enfrentar desafios para tocar em eventos, já que ela não possuía o seu próprio saxofone.

Ana Maria, com 18 anos, já sabe a importância do seu papel dentro da Banda Escola e para toda a sociedade, aluna das turmas de saxofone tenor, ela já observou que existem um aumento de mulheres participantes do projeto. Ela conta que a sociedade machista e patriarcal a qual estamos inseridos, ser uma mulher instrumentista é ocupar mais um espaço e levar a representatividade feminina em todos os espaços.

“Como mulher, eu vejo que no projeto , vamos conseguir dominar esses espaços, na banda em que toco por exemplo, o número de mulheres é um tanto superior a quantidade de homens, inclusive tem uma maestrina mulher. Me sinto feliz por poder fazer parte de tudo isso, e ver cada vez mais, nós mulheres de todos os lugares estaremos no mercado lutando de igual para igual com o homens”, frisa Ana Maria.

Atualmente o Projeto Banda Escola funciona nos bairros Dagmar Mazza, Parque Itararé, Piçarreira, Santa Maria da Codipi, Mocambinho, Vale do Gavião, Porto Alegre e na Vila Irmã Dulce. A ideia do prefeito Dr. Pessoa e do presidente da FMC, Ênio Portela, é fortalecer ainda mais essa ferramenta, inclusive a levando para comunidades rurais, para contribuir ainda mais com o enriquecimento cultural da juventude teresinense.

Orquestra Sanfônica comemora oito anos e realiza apresentação especial nesta sexta

A Orquestra Sanfônica de Teresina comemora nesta sexta-feira (23) oito anos de existência. Para comemorar a data, será realizada uma apresentação especial em homenagem ao músico Dominguinhos, por oito anos de sua partida. O evento será transmitido do Teatro João Paulo II, na zona Sudeste de Teresina.

Durante a solenidade ocorrerá o lançamento de um clipe produzido em parceria com a Orquestra Sanfônica do Rio de Janeiro e, ainda, a entrega de homenagens a pessoas que contribuíram ou contribuem com o crescimento da sanfônica.

A Orquestra Sanfônica de Teresina, ao longo de sua existência, tem trabalhado na capacitação de novos acordeonistas, ofertando ao mercado musical novos profissionais, fortalecendo a arte da sanfona e valorizando a cultura nordestina. Nesses oito anos de atividade, ela também participou de eventos locais e nacionais, arrancando aplausos e ganhando o respeito e a admiração do público nos locais de apresentações.

Por conta da pandemia da Covid-19, a sanfônica teve que se reinventar, o Maestro Ivan Silva e sua equipe, criaram alternativas para, de forma remota, manter os ensaios que garantissem a manutenção do projeto. Com a redução dos casos de covid, ainda de forma tímida, foram retornadas as apresentações em espaços públicos, sempre obedecendo às recomendações dos órgãos de saúde.

“Mesmo sem apresentações físicas, o público continuou fiel e torcendo para o nosso retorno e isso é muito gratificante e nos dá força para nunca desistir de valorizar essa nossa cultura. Hoje faremos essa apresentação e na oportunidade iremos lembrar de Dominguinhos, um mestre que nos deixou a oito anos, mas que até hoje permanece vivo no coração de quem ama a cultura nordestina”, conta o Maestro Ivan Silva, que comanda a Orquestra Sanfônica de Teresina.

O evento de hoje será fechado para o público, porém, será assistido on-line a partir das 19h30 pelo canal @oquestrasanfonicadeteresina no youtube e pela fan-page @culturathe no facebook.

Ex-aluno da Orquestra de Violões ganha bolsa para estudar com renomado professor

A Orquestra de Violões de Teresina (OVT), realizou no final do mês de abril, inscrições para a seleção de uma bolsa de estudos na escola do renomado concertista mineiro Cristiano Braga. A ação fez parte das estratégias de divulgação do ensino e da prática do instrumento na cidade, sendo a mesma liderada pelos músicos da OVT.

Com a realização do processo de escolha, se destacou o jovem Marcos Vinícius Souza Fialho, violonista, ex aluno do Projeto de Violões, desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Teresina, por meio da Fundação Cultural Monsenhor Chaves. Neste primeiro momento, irá participar apenas de aulas remotas, devendo passar para as aulas presenciais de acordo com sua desenvoltura. “A bolsa AJRodrigues foi bastante disputada, por isso me sinto grato por ter sido o beneficiado. Agora é se dedicar aos estudos para que no futuro eu seja um concertista destaque nacional”, conta Marcos Vinícius, que desde os 15 anos de idade vem se dedicando ao violão.

De acordo com Ravi Cordeiro, membro da OVT, a criação das bolsas de estudos surgiu através de uma parceria do próprio violonista mineiro com o luthier piauiense Antônio José Rodrigues (nome que homenageou a bolsa), que desde 2005 fabrica violões clássicos de seis, sete e oito cordas. Ravi Cordeiro explica que o professor é um dos mais renomados do país e que é conhecido por transformar jovens em concertistas campeões de competições nacionais e internacionais, valorizando a arte de tocar violões.

“Com essa bolsa, vamos dar a esse jovem a possibilidade de entrar no cenário cultural através dos ensinamentos de um grande concertista. Para se ter ideia dos custos, uma única aula com esse professor, custa em média R$150 reais, valor que é inviável para muitos dos jovens teresinenses”, comenta Ravi Cordeiro, afirmando ainda que essa seleção também faz parte das atividades que antecedem o Festival de Violões de Teresina, que este ano será realizado de forma remota por conta da pandemia do Novo Coronavírus.

Sobre o professor

Cristiano Braga, é professor Doutor em Música na Universidade Federal do Maranhão e em seu extenso currículo, além de professor e concertista com mais de 20 anos de experiência nacional e internacional, o violonista é bacharel em violão e licenciado em música pela UFMG, mestre em música/violão pela UFRS e doutor em violão pela UFMG.

Sobre a OVT

A Orquestra de Violões de Teresina, coordenada pelo músico Dam Bezerra, é mantida pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Para mais informações sobre as ações da cultura no município, basta acessar o site cultura.teresina.pi.gov.br.

Doze atrações musicais irão animar postos de vacinação Drive Thru em Teresina

Este final de semana será de comemoração para os teresinenses de 71 e 72 anos. Eles estão na programação para receberem nesta sexta (23) e no sábado (24), a segunda dose da vacina contra o Novo Coronavírus.
Para não deixar esse momento passar em branco, a Prefeitura de Teresina (PMT), por meio da Fundação Cultural Monsenhor Chaves (FMC), irá disponibilizar, em alguns postos Drive Thru, atrações musicais que prometem animar quem passar por estes locais.

De acordo com Scheyvan Lima, presidente da FMC, a iniciativa do Projeto Música e Saúde visa amenizar a ansiedade daqueles que estavam há um ano aguardando pela imunização contra a Covid-19. Segundo ele, nesta etapa os músicos serão destacados para dez postos de vacinação espalhados em todas as zonas da capital.

“A gente percebeu que muitas pessoas entraram em depressão durante a pandemia, elas se isolaram mais e isso é um fato preocupante que precisa ser visto com delicadeza. Com a música iremos mostrar para elas que apesar das dificuldades enfrentadas no último ano, temos que ter força para lutar e seguir em frente. A saúde mental é muito importante nesse momento”, enfatiza Scheyvan Lima.

Para o violonista Dam Bezerra, coordenador do Projeto de Violões da FMC, levar cultura para estes espaços é algo muito importante, pois para ele não há nada que pague o sorriso no rosto de uma pessoa que se encanta com um bom som musical.

“Notei que ao entrarem nos postos muitos estavam com a fisionomia tensa, mais logo que começava a toca o rosto aflito dava espaço para um grande sorriso e ver um rosto feliz é o melhor prêmio que um músico pode ganhar”, afirma Dam Bezerra, que se apresentou na primeira etapa do projeto.

Vale lembrar que para se vacinar as pessoas contempladas nesta etapa devem comparecer aos locais de vacinação portando o cartão de vacina que comprove a primeira dose, documento de identificação com foto, CPF e comprovante de residência da cidade de Teresina. Para mais informações sobre os locais de vacinação, bem como os horários, basta acessar o site pmt.pi.gov.br

Postos de vacinação de Teresina terão música ao vivo

Em tempos de pandemia, onde muitos perderam a vida e outros seguem internados em hospitais, a notícia da vacinação contra a Covid-19 chega como alívio para milhares de teresinenses. Esse momento tão esperado será agora comemorado com uma boa música instrumental. A partir deste sábado (07), a Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC) irá proporcionar aos profissionais da saúde e a população que busca pela vacinação, um momento cultural com a apresentação de músicos instrumentistas.

De acordo com Antoniel Ribeiro, técnico da FMC, toda a atividade ocorrerá obedecendo os critérios de distanciamento social a fim de dar segurança aos profissionais de saúde e aos músicos que estarão se apresentando. “Neste primeiro momento teremos apresentações no período da manhã com a participação dos músicos das Banda 16 de Agosto e das orquestras sinfônicas e de violão”, comenta Antoniel Ribeiro, afirmando ainda que já há um planejamento para apresentações em todos os postos e horários, a depender da boa aceitação da ação.

Para Scheyvan Lima, presidente da FMC, as apresentações irão dar mais tranquilidade aos idosos que estarão nas filas de espera. “Sabemos da agilidade que ocorre nos postos de vacinação, porém entendemos que para quem já está há mais de um ano sonhando com a vacina, segundos se tornam minutos e a música irá ajudar a diminuir a ansiedade de quem espera e simbolizará nossa esperança”, ressaltou.

No sábado, a partir das 09 horas, ocorrerão apresentações nos terminais de integração Livramento, Itararé e Bela Vista. No domingo, também a partir das 09 horas, além dos terminais citados acima, terá apresentação no Drive Thru do Teresina Shopping.

Professor explica metodologias do estudo musical em casa

O estudo de um instrumento musical não difere muito do estudo de uma grade curricular convencional. A principal diferença é que a música pode e deve ser estudada tanto de forma empírica quanto teórica. No Palácio da Música, as disciplinas são levadas bem a sério e pelo fato das aulas serem remotas, por conta das medidas de isolamento social tomadas para evitar o contágio do novo coronavírus, o professor Filipe de Sousa dá dicas de como conciliar os estudos em casa com a rotina diária.

Segundo o profissional, o ensino a distância tem diversas vantagens, mas exige alguns cuidados para que não se perca o objetivo do aprendizado, que deve nortear os interesses de quem deseja adquirir competências e uma formação diferenciada. Para ele, uma forma geral de organizar 60 minutos de estudo seria separando os 10 primeiros minutos para aquecimento, os 20 minutos seguintes para aplicação de teoria na prática, com a utilização de escalas, acordes ou arpejos e os 20 minutos finais para a parte mais divertida: a prática de repertório, trabalhando uma música por vez.

“O que se faz com gosto e prazer torna-se mais produtivo, é preciso sim, estudar coisas que o aluno pode achar chato de início, mas na hora de aplicar à prática a diferença será marcante. É preciso tomar nota em um caderno só para o instrumento, separar o material para cada assunto, nunca pulando para o assunto seguinte sem antes tê-lo dominado. Respeitar seu tempo de aprendizagem, não tentar se comparar com os outros e internalizar que é normal haverem dias improdutivos”, explica Filipe de Sousa, enfatizando ainda que o importante é manter uma rotina.

O professor explica ainda que é preciso o aluno definir na residência um local de estudo e que caso more com outras pessoas, é importante ter um espaço onde ele não consiga ser atrapalhado ou atrapalhar. “Procure um ambiente que tenha condições para você manter a postura correta para estudar, ou seja, um lugar não muito apertado, que tenha uma cadeira ou banco confortável. De preferência bem iluminado, onde você consiga visualizar bem os seus materiais de estudo, partituras e etc”, conclui Filipe de Sousa, que, além de músico, é professor de guitarra no Palácio da Música.

Adnayane Marins, diretora do Palácio da Música, conta que além das aulas, os professores são orientados a darem dicas de otimização do estudo em casa que, segundo ela, acaba sendo um bom proveito financeiro para alguns, uma vez que a aula on-line permite que o aluno faça tudo de onde estiver, sem a necessidade de gastar tempo ou dinheiro com a locomoção até um local de aula físico. “Os cursos on-line também acabam gerando oportunidades para pessoas de baixa renda, principalmente aquelas que sonham em tocar um instrumento, mas que não contam com recursos financeiros para se locomover até o Palácio da Música, que fica na região central da cidade”, conta Adnayane Marins.

O Palácio da Música é mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Para maiores informações sobre novas turmas, basta acessar o site fcmc.teresina.pi.gov.br ou seguir as redes sociais da fundação ou do palácio.

 

 

Os “Caba do Forró” fará live no YouTube e promete muita animação

Começando a semana com boa música e muita animação, a banda “Os Caba do Forró” realizará uma live nesta terça-feira (26) em suas redes sociais. O tradicional arrasta pé será comandado pelo sanfoneiro Vicente Visgueira e inicia às 19 h.

O grupo foi um dos contemplados pela Prefeitura de Teresina, através da Fundação Monsenhor Chaves (FMC), na Lei de Auxílio Emergencial Aldir Blanc, que busca valorizar a nossa cultura, levando o forró pé de serra para todos os teresinenses.

“A banda surgiu há mais de 20 anos e, devido a pandemia, tivemos que parar. Mas, graças a Deus, conseguimos ser um dos grupos contemplados pela lei”, afirma Vicente Visgueira.

Os “Caba do Forró” se destaca tocando um ritmo mais tradicional em seu repertório. A banda já fez bastante sucesso em outras cidades do nordeste com as canções de Luiz Gonzaga, e também com os forrós mais atuais. Para esta apresentação, o grupo promete não deixar ninguém parado.

“Estaremos esperando vocês com muito forró pé de serra e, com certeza, vocês vão gostar muito”, conclui.

A live acontece no canal do YouTube do sanfoneiro Vicente.

Inscrições para o 25º Chapadão encerram na sexta, dia 03

Uma das maiores vitrines da música piauiense, o 25º Festival de Música da Chapada do Corisco – Chapadão- está com inscrições abertas até a próxima sexta-feira, dia 03. O evento, que já lançou dezenas de artistas consagrados, acontece no final do mês de maio no Palácio da Música e Teatro de Arena com as categorias Estudante e Profissional.

 

Promovido pela Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Monsenhor Chaves, o Chapadão é o maior festival de música do Piauí e nos seus 25 anos, foi responsável por abrir as portas do mercado da música para muitos artistas e grupos.

 

O gerente de promoção cultural da Fundação Monsenhor Chaves, o músico Paulo Dantas, hoje experimenta o outro lado do festival. Ele já foi um dos ganhadores do evento na categoria instrumental e, além do cargo na FMC, atua ativamente no mercado musical. Para ele, o festival é a maior vitrine no lançamento de novos artistas e impulsionamento de novas músicas.

 

“Hoje temos grandes artistas no Piauí, como a banda Validuaté, que iniciou no Chapadão e já alcançou um nível incrível. Como um dos ganhadores, posso dizer que ajudou muito para mostrar um pouco do meu trabalho. E ser premiado dá um gosto ainda melhor”, destaca Dantas.

 

Nesta edição, o evento vem com algumas novidades. A organização optou em realizar as inscrições pelo Instagram, visando maior proximidade com o público. “Resolvemos mudar, visto que as pessoas estão mais ativas nas redes sociais e gostam disso, então é uma forma de aproximação desse público não só com a organização, mas também com um número maior de pessoas, que se encontram presentes na internet”, explica Paulo Dantas.

 

Podem se inscrever no festival, artistas profissionais, semi profissionais e estudantes do ensino fundamental ou médio residentes em Teresina, que desenvolvam trabalho autoral. Cada concorrente poderá inscrever até duas músicas, sendo 2 solos, 01 solo e 1 parceria ou 2 parcerias, somente músicas em língua portuguesa. A comissão irá escolher de acordo com os critérios: criatividade poética e competência gramatical para a letra, criatividade melódica para a melodia e afinação, dicção e interpretação para o intérprete.

 

A premiação do 25º Chapadão premia os primeiros colocados de cada categoria com a gravação de um vídeo clipe mais a quantia de R$ 3.000 para estudante e R$ 5.000 para profissional. Os outros valores variam entre R$ 4 mil e R$ 1 mil. O objetivo do evento é estimular e valorizar os talentos musicais da cidade.

 

O Festival de Música da Chapada do Corisco será realizado nos dias 20 e 21 de maio no Palácio da Música e 27 de maio no Teatro de Arena. A entrada é gratuita.

 

Inscrições

 

Nesta edição, as inscrições irão acontecer em três etapas, nas quais as duas primeiras serão pelas redes sociais e a terceira presencial. O primeiro passo é postar o vídeo de música autoral em seu Instagram, que deve ser aberto ao público com as hashtags oficiais que representa sua categoria: #25chapadaoestudantil e #25chapadaoprofissional. O mesmo deverá seguir e marcar o perfil da FMC (@cultura_the). O vídeo postado deve ser gravado por quem irá interpretar a canção no evento, além de ser objetivos, tendo como foco a canção e a interpretação.

 

Na postagem deverá conter na descrição, também, o nome da música, intérprete(s) e compositor(es). Caso o vídeo postado tenha mais de 1 minuto de duração, deve ser editado em até no máximo três vídeos de 1 minuto e postado de forma integrada, ou seja, 3 vídeos na mesma postagem.

 

A comissão de seleção fará uma triagem, onde serão selecionados 30 vídeos, sendo dez de cada categoria e os restantes farão parte da segunda etapa, a Repescagem, também pela internet. Os dez vídeos restantes (5 estudantil e 5 profissional) serão postados no Instagram da FMC para a votação do público, durante 2 dias e os dois mais curtidos de cada categoria serão selecionados para a semi final do chapadão. A terceira etapa das inscrições acontece após todos os selecionados forem divulgados, onde os mesmos deverão deixar a documentação exigida pelo edital da sede da Fundação Monsenhor Chaves.

 

Confira o edital: http://twixar.me/FpYK