Campanha uniu o samba com a solidariedade no Hemopi

Foi em ritmo de samba, que na manhã desta sexta-feira (25), dezenas de pessoas estiveram no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí – Hemopi, para participar da campanha “Sou sambista sangue bom”, promovida pelo Movimento Piauí Samba, em parceria com a Prefeitura de Teresina e a Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Até o meio-dia, 70 doadores já haviam passado pelo hemocentro, que segue recebendo os doadores até o final da tarde, isso para aumentar a disponibilidade de bolsas de sangue no estoque.

A campanha promovida pelos sambistas já acontece na cidade há oito anos, sempre tendo a população teresinense como aliada nessa corrente do bem, que vem ajudando a salvar vidas. Para Robert Robert Gleydson, do Movimento Piauí Samba, essa edição teve um gostinho especial, pois por conta das medidas de isolamento, há um bom tempo, parte da população não tinha acesso a esse contato direto com o samba.

“Essa campanha surgiu através dos nossos amigos que viram a necessidade de ajudar o Hemopi. Para a equipe, é muito gratificante se apresentar em um evento solidário, ainda mais sabendo que essa atitude irá compartilhar amor ao próximo”, conta Robert Gleydson, enfatizando ainda que por conta da não realização das atividades carnavalescas, esse ano a campanha foi uma oportunidade para levar o melhor do samba para a população.

Hemopi comemora os resultados

Suzane Rocha, do Supervisora de Captação de Doadores do Hemopi, conta que a campanha é importante porque acaba atraindo os doadores até o hemocentro, fazendo com que o banco de sangue tenha estoque suficiente para atender as demandas. Ela comenta ainda que neste período do carnaval, mesmo com o momento pandêmico, aumenta os casos onde as pessoas precisam de sangue, por isso o Hemopi vem intensificando as coletas internas e externas.

“Temos hoje um estoque razoável, porém iremos continuar recolhendo as doações regularmente, a fim de não deixar nosso estoque com baixa quantidade de bolsas. Para garantir que os doadores possam ter opções neste feriado, estaremos funcionando normalmente”, garante Suzane Rocha.

Doa faz bem

O estudante Welton Sousa, 26 anos, diz que ficou sabendo da campanha pelas redes sociais, e como já é doador regular, resolveu participar da campanha. Para o estudante, ser doador é algo gratificante, um ato que deveria ser seguido por todos.

“Já tive na família casos de pessoas que precisaram receber doação de sangue e por isso, tento me colocar no lugar daquelas pessoas que estão em um leito de hospital precisando dessa nossa solidariedade. A doação é bem rápida, não doe, e ainda me ajuda a me sentir bem, pois sei que em algum lugar, vai ter uma vida salva graças a minha atitude”, finaliza Welton Sousa.

Cultura e solidariedade

Desde janeiro deste ano, a Fundação Municipal de Cultura vem fazendo parcerias a fim de ajudar com campanhas que tenham como intuito ajudar ao próximo. De acordo com Ênio Portela, presidente da fundação, já foram feitas inúmeras campanhas para receber alimentos, roupas e brinquedos e que agora chegou a vez de ajudar o Hemopi, oferecendo apoio para que o hemocentro possa atrair mais doadores.

“A pedido do prefeito Dr. Pessoa, temos aumentado o número de parcerias com atividades que tenham como intuito ajudar ao próximo. Hoje, atendemos ao pedido do Movimento Piauí Samba, porém ao longo do ano estaremos abertos a novas parcerias”, conta Ênio Portela.

Como doar no Carnaval

Durante o período carnavalesco o Hemopi estará funcionando para atender aqueles que querem ajudar a salvar vidas. Nos feriados o hemocentro estará funcionando das 07h às 17h, nos demais dias, estará aberto das 07h15 às 18h.

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí fica localizado na Rua 1° de Maio, 235, bairro Centro. O Hemopi também disponibiliza os telefones 3221-4989 e 3221-8319 para que os doadores possam buscar mais informações antes de fazer a doação.

Sambistas de Teresina irão realizar show solidário no Hemopi

Na próxima sexta-feira (25/02), ocorrerá a campanha “Sou sambista sangue bom”, evento realizado pelo movimento cultural Piauí Samba em parceria com a Prefeitura de Teresina e a Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC). A campanha tem como objetivo coletar bolsas de sangue para ajudar a reforçar o estoque do hemocentro, como também levar alegria para as pessoas através do samba.

Segundo Celene Fernandes, gerente de promoção cultural da FMC, a campanha tem uma grande importância para a saúde pública local, já que segundo ela, o hemocentro sempre precisa dessas doações. Ainda de acordo com a gerente, atrelar esse ato solidário à cultura, torna o evento ainda mais relevante.

“Atendendo a um pedido do prefeito Dr. Pessoa, a FMC tem feito inúmeras parcerias para o bem de Teresina, como por exemplo a campanha para receber alimentos que são doados para famílias carentes afetadas pelas enchentes. Agora junto com o Piauí Samba e o Hemopi, vamos ajudar a salvar vidas”, conta Celene Fernandes.

O evento contará com atrações culturais como Movimento Piauí Samba e Robert Gleydson, Bola, Betão, Jr Trezeguet, Juvenal DD, Duo de Saxofone, Irmãos Fidélis e muitos convidados. Além do samba, ocorrerão rodas de poesias e a população também poderá fazer doações de livros .

Para Robert Gleydson, diretor do Movimento Piauí Samba, o samba mexe com a parte emocional do ser humano e as pessoas vão se sentir atraídas pelo ritmo frenético, pela batucada, pelo momento que é de carnaval, o samba tem um papel social e nessa campanha não será diferente. Ele afirma ainda que no atual cenário, os artistas também carregam a responsabilidade de ajudar o próximo.

“Já que não terá folia, uma das ideias da campanha é levar alegria aos doadores. Com o apoio da Fundação Monsenhor Chaves tudo isso será possível. Sempre somos bem recebidos por onde passamos, por isso chegou a hora de retribuir todo o carinho que recebemos da população teresinense”, frisou Robert Gleydson.

A campanha “Sou sambista sangue bom” inicia às 08h e seguirá até o meio-dia, no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Piauí, que fica localizado na Rua 1° de Maio, 235, bairro Centro.

CRITÉRIOS PARA DOAR

Ter idade entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos devem possuir consentimento formal do responsável legal);

Pesar no mínimo 50 kg;

Estar alimentado. Não ingerir alimentos gordurosos antes da doação;

Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas;

Apresentar documento de identificação com foto emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Carteira Nacional de Habilitação, Carteira de Trabalho, Passaporte, Registro Nacional de Estrangeiro, Certificado de Reservista e Carteira Profissional emitida por classe), serão aceitos alguns documentos digitais com foto.