Galeria do Mercado Velho abre exposição A MA RIA nesta quarta (10)

Inicia nesta quarta-feira (10) e segue até o próximo dia 25 de março, na Galeria do Mercado Central, no Centro de Teresina, a Exposição A MA RIA, do artista plástico Marcos Pê, que fala sobre Maria, que para o artista é o prefácio da vida de todos. O pródromo da existência do afeto.

Marcos Pê conta que Maria é o primeiro nome subjacente a qualquer mulher. É um feminino além do gênero. “Mulher Maria ou Maria Mulher é sempre uma referência automática à poesia, resistência e uma vocação natural para as lutas. Maria também é o sexo forte, a fé da adoração dos rosários e dos joelhos postos. Maria é ventre, germina, floresce, brota. Nada combina mais com Maria do que vida”, diz Marcos Pê, afirmando ainda que nada combina mais com arte do que Maria.

O artista é natural de Cajazeiras (PB) e reside em Teresina-PI desde 1983. Além de artista plástico, ele é publicitário. Ilustrou vários livros: No altar da poesia, Um mar de poesia, Cantadores, Cancela Velha, Outros mares, Invernia, O que é poesia, Inspiração e outros.

Como diretor de arte do longa-metragem João, foi também responsável pela reconstrução artística das sequências de dramatização.

A Exposição A MA RIA é financiada através de recursos da Lei Federal Aldir Blanc, executada pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Cultural Monsenhor Chaves. Para acompanhar mais ações desenvolvidas na Galeria Cultural do Mercado Central, basta acessar o site fcmc.teresina.pi.gov.br ou seguir as redes sociais da Fundação Cultural Monsenhor Chaves.

A Galeria do Mercado Central funciona de segunda a sexta das 9h às 17h e aos sábados das 9h às 13h, no Mercado Central de Teresina.

Galeria de Artes Visuais do Mercado Velho abre exposição

A Galeria de Artes Visuais do Mercado Velho abre espaço para a exposição “Na folha, na terra, tem erê, tem anciã”, a partir das 09 horas deste sábado (19).

As obras das artistas Jamm e Línea trazem o tema da ancestralidade. A exposição tem curadoria e mediação da artista Mika, que tem como pesquisa a memória familiar e estudos sobre gênero e afrobrasilidade.

Por conta da pandemia do novo Coronavírus, a exposição não terá como de costume a abertura oficial. De acordo com o coordenador de artes visuais da Fundação Monsenhor Chaves, Guga Carvalho,  serão permitidos cinco visitantes dentro do espaço, seguindo todas as recomendações necessárias.

“A exposição terá o público fragmentado. Estamos voltando com todos os cuidados cabíveis diante a pandemia, tanto que será permitida a permanência no local por no máximo 20 minutos, para que haja rotatividade”, afirmou.

“Na folha, na terra, tem erê, tem anciã” é uma produção do Coletivo Latinas, com design do estúdio Zuli e fica exposta até o dia 03 de fevereiro de 2021. O espaço é mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da FMC, e tem abrigado e dado oportunidade para artistas da capital piauiense e região exporem seus trabalhos. Fica aberto de segunda à sexta, de 09h às 17h e aos sábados, de 09 às 13h.