Nova Casa da Cultura segue aberta ao público com seis exposições

A Casa da Cultura, que desde o ano passado passou a funcionar no prédio histórico conhecido como Casa Carlotinha, está aberta ao público com uma série de exposições abordando não só a cultura local, mas também mundial. O objetivo dessas exposições é desenvolver um olhar sensível, além do desenvolvimento do gosto pela arte e manter viva a história teresinense.

As exposições apresentadas são dos acervos da casa, que contam com a Coleção do Jornalista Carlos Castelo Branco, o Trabalho Fotográfico de José Medeiros, a Sala de Geologia e Patologia, Sala de Numismática, com moedas dos cinco continentes do mundo, além de Porcelanas e a exposição de telas de artistas piauienses, entre outras. O passeio pela Casa da Cultura é uma ótima opção para turistas ou para os próprios teresinenses que desejam conhecer um pouco mais sobre a Teresina do passado.

Para Marilene Evangelista, diretora da casa, expor ao público a história de Teresina, bem como apresentar um acervo tão rico em conteúdo, trabalho e arte é extremamente gratificante, pois explora as possibilidades de expressões e interpretações da diversidade cultural como uma forma de ver, viver e se conectar com a cultura de um povo.

“A abertura e exposição desses acervos na Casa da Cultura valoriza a história local. A Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC), através do presidente Ênio Portela e do prefeito Dr. Pessoa, tem trabalhado para manter viva nossa história, por isso fazemos um convite a população para conhecer o espaço e prestigiar o acervo”, conta Marilene Evangelista, informando ainda que devido a pandemia da Covid-19, o limite máximo para visitação foi reduzido, sendo que o visitante deve ter em mãos o passaporte de vacinação e fazer o uso de máscara.

O projeto Casa da Cultura foi criado em 1994 com o intuito de manter intacta a memória da cidade, o mesmo dispõe de um museu que contém um vasto acervo museológico, se tornando um grande atrativo para turistas, estudantes e os próprios teresinenses que buscam conhecer um pouco mais sobre a história da cidade. A mesma funciona de segunda à sexta-feira, das 08 às 13h, na Rua Elizeu Martins, 1426, no bairro Centro (em frente a Praça João Luís Ferreira).

Informações para visitantes

Taxa de serviço:  R$: 2,00 por pessoa
Agendamento de visitação: (86) 99402-5428 – telefone ou (86) 98864-2231 – whatsapp

 

Museu Dom Paulo Libório abre exposição virtual sobre santos juninos

O mês mais nordestino do ano é carregado de festividades, tradição, culinária e música. Este ano, com as restrições causadas pela pandemia, o período foi aberto sem festa, mas não sem arte e os santos juninos estão sendo homenageados em uma exposição do Museu Municipal de Arte Sacra Dom Paulo Libório.

Santo Antônio, São João e São Pedro são os protagonistas da exposição virtual promovida pelo museu no seu canal do Youtube. Essa é uma iniciativa para manter os visitantes próximos ao local que está fechado por conta das restrições de combate ao coronavírus.

Para a diretora do museu, Fernanda Fernandes, o momento é desafiador, mas também enriquecedor e o museu está dando um grande passo. “Mesmo com a suspensão temporária das visitas presenciais devido a pandemia do Covid-19, a casa se adaptou e continua a realizar suas exposições, agora, de forma virtual. É fundamental destacarmos que todas as etapas foram elaboradas respeitando sempre os protocolos de segurança: a equipe é reduzida, o uso de máscaras e álcool em gel é obrigatório, bem como o distanciamento social também foi sempre respeitado para garantir a segurança dos colaboradores. Contamos com as visualizações e sugestões de todos para cada vez mais aprimorarmos nossa relação com a comunidade!”, conta Fernanda Fernandes.

A primeira exposição virtual do museu foi realizada no mês de maio, durante a semana de museus, e teve como tema cruzes e crucifixos. As exposições são idealizadas pelo pesquisador e curador do Museu Dom Paulo Libório, Adriano Carvalho.

“Escolhemos esse tema para celebrar a tradição e a religiosidade desse período tão marcante para os nordestinos. A exposição é composta por peças em gesso e madeira policromada dos séculos 18, 19 e 20”, explica Adriano Carvalho.

Mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, o Museu de Arte Sacra Dom Paulo Libório fica localizado na Rua Olavo Bilac, 1481, no cruzamento com a Rua 24 de Janeiro, no Centro de Teresina. A exposição segue disponível virtualmente na página Museu de Arte Sacra Dom Paulo Libório, no Youtube.