Boa procura marca a reabertura das bibliotecas públicas de Teresina

Após mais de um ano fechadas por conta da pandemia do coronavírus, reabriram, nesta segunda-feira (12), cinco das nove bibliotecas mantidas pelo poder público municipal em diversas zonas da capital. Para essa reabertura, a Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, instalou nesses espaços alguns instrumentos sanitários, bem como foram feitas adequações para manter o distanciamento social a fim de evitar a propagação da covid-19.

O jovem Francisco Nascimento, de 21 anos, que reside no bairro Matadouro, foi um dos beneficiados com a reabertura das bibliotecas, ele conta que mora em uma casa com mais oito familiares e que, por conta disso, vinha tendo dificuldades para estudar com tranquilidade.

“Estou sempre estudando para ficar apto a participar de concursos públicos e com as medidas tomadas para evitar o contágio do coronavírus, tive muita dificuldade para continuar estudando, pois por conta da movimentação na minha residência, era difícil manter o foco”, relata Francisco Nascimento, que agora passa a ter esse apoio físico para pôr em prática seus estudos.

Para Lúcia Ferraz, coordenadora da biblioteca do bairro São João, na zona Leste de Teresina, os impactos sociais causados pelas medidas restritivas atingiram em cheio as bibliotecas e os consulentes. Ela relata que a biblioteca do São João atendia uma média mensal de 500 moradores da comunidade e que a reabertura já vinha sendo cobrada por essas pessoas.

“Estávamos abertos apenas para serviços interno, fazendo a catalogação e manutenção do nosso acervo e sempre éramos cobrados sobre a abertura. Os jovens eram os que mais cobravam, eles alegavam a ausência de um local apropriado para leitura, já que antes eles utilizavam as bibliotecas”, comenta Lúcia de Fátima, que está otimista com a reabertura consciente.

Para fazerem uso das bibliotecas os consulentes deverão fazer o uso de máscara protetiva, higienização das mãos e manter o distanciamento físico. Nesta primeira etapa, esses espaços funcionarão apenas das 08hs às 13hs, podendo o interessado fazer agendamento prévio através dos números descritos abaixo ou presencialmente.

Veja a lista das bibliotecas reabertas

ABDIAS NEVES – Centro
Tel. 3215 7824
FONTES IBIAPINA – Bairro Matadouro
Tel. 3215 7823
DA COSTA E SILVA – Bairro Parque Alvorada
Tel. 3215 9230
H. DOBAL – Bairro Satélite
Tel. 3215 7910
SÃO JOÃO – Bairro São João
Tel. 3215 7871

Banda 16 de Agosto volta a suspender ensaios

A pandemia do coronavírus vem mudando vidas desde março de 2020. Hospitais, escolas, serviços públicos e privados precisaram encontrar novas formas de seguir em frente e se adaptar ao que chamamos de novo normal. Com a música não foi diferente. Shows foram cancelados e festivais adiados. As apresentações ficaram suspensas e muitas ainda estão sem data para retornarem.

A Banda 16 de Agosto tem uma longa história musical com a cidade. Completando 53 anos, em 2021, ela vem se readaptando durante todo esse período de pandemia. Inicialmente com a suspensão das atividades presenciais, depois com a volta e novamente ficando de forma remota.

Nem a rotina de ensaios das bandas pode continuar. Maestro Rocha Sousa, novo coordenador da banda, conta os desafios enfrentados pela nova gestão com a pandemia. “Quando assumimos a coordenação, o cenário de saúde era diferente e voltamos às nossas atividades presenciais, para que os músicos pudessem se integrar. Trabalhamos em rodízio, dividindo a banda em grupos de 10 a 12 músicos, que ensaiavam seguindo os protocolos de segurança. Foi muito bom pois os músicos sentiam falta de estarem juntos, a música flui melhor”, conta o Maestro Rocha Sousa.

Porém com o agravamento da pandemia, novas medidas foram necessárias e buscando preservar a saúde dos músicos e seguir os protocolos impostos pelas autoridades de saúde, a banda suspendeu suas atividades presenciais mais uma vez.

Alberto Yure é saxofonista da 16 de agosto há 10 anos e encara a mudança com calma. “Nós temos que seguir as recomendações das autoridades e ter cuidados com a nossa saúde e dos nossos entes queridos, não tem jeito. Nós estamos sempre nos readaptando e os ensaios de forma remota são um pouco mais complexos e requerem mais cuidado e técnica da nossa parte. É muito diferente do presencial, mas está dando certo, maestro Rocha tem sido atencioso e cuidadoso”, pontua Alberto Yure.

A Banda 16 de Agosto é mantida pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Para mais informações sobre esse e outros projetos, basta acessar o site fcmc.teresina.pi.gov.br.