Dr. Pessoa renova e reajusta contrato com associação da Orquestra Sinfônica de Teresina

Como forma de garantir a execução de vários projetos culturais em Teresina, o prefeito Dr. Pessoa renovou por cinco anos o contrato entre a Prefeitura Municipal de Teresina, Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves e a Associação dos Amigos da Orquestra Sinfônica de Teresina. O novo contrato será válido até dezembro de 2026 garantindo mais segurança para os músicos e demais profissionais que prestam serviços na Orquestra Sinfônica, Orquestra Sanfônica, Orquestra de Violões, Orquestra Escola e da Banda 16 de Agosto e Banda Escola.

Além da renovação do contrato por cinco anos, o prefeito Dr. Pessoa, atendendo ao pedido do maestro Aurélio Melo, resolveu reajustar em 20% o valor mensal do contrato, que agora passa de R$ 416.437,42 para R$ 563,920,03. Para o prefeito, esse reajuste foi necessário, já que, além da estrutura para ensaios e apresentações, as orquestras precisam adquirir nossos equipamentos e ainda garantir a manutenção dos mesmos.

“As orquestras e a Banda 16 de Agosto têm um papel muito importante na cultura teresinense, por isso mantemos o nosso compromisso de valorizar a cultura local dando continuidade a esses projetos. Outra notícia boa é que os músicos também terão seus salários reajustados, pois sei que muitos foram prejudicados por conta da pandemia. Por isso, resolvi, em comum acordo com o maestro Aurélio Melo e o presidente da FMC, Ênio Portela, autorizar os recursos para que os músicos pudessem ter esse aumento no salário”, disse o prefeito Dr. Pessoa, enfatizando que, em breve, Teresina terá mais novidades na área da cultura.

Para Ênio Portela, com a renovação deste contrato, quem sai ganhando é o povo de Teresina, principalmente aqueles que moram na periferia e na zona Rural, que também deverão receber nos próximos meses concertos e ensaios. Ênio Portela fala ainda que o aumento dado ao projeto e aos músicos é mais que merecido, pois são profissionais que estudaram muito e que hoje trabalham diuturnamente para valorizar a cultura da cidade de Teresina.

“Além dos concertos e ensaios que nesta gestão ocorrem por toda a cidade, os músicos das orquestras também ministram aulas para aqueles que desejam aprender a tocar algum instrumento e se inserir no mercado musical. Cito como exemplo o Projeto Banda Escola, que também está inserido neste contrato. Ele ocorre em todas as zonas da cidade, e vem tirando muitos jovens do mundo da criminalidade, sendo que muitos deles acabam se inserindo nas orquestras, tendo ainda casos de ex-integrantes que hoje estão atuando em bandas nacionais”, enfatiza Ênio Portela.

Otimista com a renovação do contrato, o maestro Aurélio Melo, da Orquestra Sinfônica de Teresina, falou sobre o contrato de gestão que teve que ser refeito por conta do término do último contrato. Para ele, o sentimento é de orgulho e gratidão, pois com o novo contrato, a orquestra conseguirá rever tudo aquilo que foi perdido ao longo dos últimos 20 anos, onde não houve ajustes financeiros ideais para o funcionamento dos projetos.

“Por conta da inflação, perdemos muito, tínhamos até dificuldades para fazer a manutenção dos equipamentos, porém, agora com esse reajuste de 20%, conseguiremos pôr em prática todos nossos projetos sem haver as dificuldades de antes. À gestão municipal, o nosso parabéns, pois estamos se sentindo valorizados, respeitados, pois sem a manutenção adequada ficaria inviável continuar os trabalhos que realizamos”, afirma o maestro Aurélio Melo, parabenizando mais uma vez o prefeito Dr. Pessoa e o presidente Ênio Portela pelo olhar diferencial da cultura do município.

Para acompanhar os investimentos da Prefeitura Municipal de Teresina na área da cultura, basta seguir a página @cultura_the no Instagram, ou acessar o site cultura.pmt.pi.gov.br.

Maestro português capacita profissionais do Projeto Banda Escola em Teresina

O Projeto Banda Escola, desenvolvido pela Prefeitura de Teresina, através da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, tem um papel importante na formação musical de crianças e adolescentes das regiões periféricas da capital piauiense. Juntando teoria e prática, o projeto trabalha na preservação e continuidade da produção cultural no município, inserindo novos talentos no mercado de trabalho.

Com o intuito de contribuir com o enriquecimento profissional dos instrutores que atuam no projeto, foi realizado durante o mês de maio uma capacitação com o maestro Bruno Martins, de Portugal. Bruno Martins é formado pela Universidade de Aveiro e hoje atua como professor assistente no Conservatório Superior de Música de Castilla y León, ao lado do maestro Javier Castro.

Para Cleidiomar Nascimento, Coordenador do Projeto Banda Escola, a formação dos instrutores é muito importante para o bom funcionamento do projeto, pois garante aos alunos um melhor aprendizado . “Para termos bons alunos, precisamos ter bons professores e estamos investindo na qualificação deles, com profissionais de renome”, reforça Cleidiomar Nascimento.

O projeto Banda Escola atua em diversas escolas municipais nas mais diversas regiões da capital, beneficiando diretamente dezenas de jovens em situação de risco. Ela é a responsável pela profissionalização de diversos artistas que hoje atuam Brasil afora.

Para mais informações sobre este e outros projetos desenvolvidos pelo poder público na cidade de Teresina, basta acessar o site cultura.teresina.pi.gov.br. No site também são divulgadas ofertas de cursos, apresentações culturais, entre outros assuntos relacionados às políticas públicas voltadas para o setor cultural.

Músico renomado fará bate papo com crianças e adolescentes de projeto popular na sexta (19)

Com 11 anos de idade, Flaubert Viana começou a dar os primeiros passos no ramo musical, isso com os ensinamentos obtidos na antiga Banda de Música do bairro Lourival Parente, na zona sul de Teresina, banda que fazia parte do Projeto Banda Escola, até hoje mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC).

Hoje, com 36 anos e morando no Estado do Ceará, ele é saxofonista, flautista, arranjador, produtor cultural e técnico de gravações. Também tem trabalhos com diversos artistas de renome nacional, como, por exemplo, Solange Almeida, além de trabalhos em grandes emissoras de televisão.

Desta vez ele volta ao projeto de forma virtual, onde terá uma roda de conversa online com alunos da Banda Heitor Vilas Lobos, projeto da Banda Escola que atende cerca de 45 crianças e adolescentes do bairro Piçarreira, na zona leste da capital. O músico fala com alegria sobre as lições aprendidas com os maestros  Simplício Cunha e Lima Cunha. “Comecei ainda criança e sai de lá um homem preparado para o mercado de trabalho e por isso me sinto honrado em ter essa conversa com essas crianças e adolescentes. Irei compartilhar com eles minhas experiências profissionais e a maneira  como o projeto me ajudou a não entrar no mundo da criminalidade”, comenta Flaubert Viana, que já está de malas prontas para uma nova jornada profissional no Estado do Pernambuco.

A Banda Heitor Vilas Lobos é regida pelo Maestro Micael Fideles. Ele conta que essa iniciativa nasceu da ideia de compartilhar com as crianças e jovens as experiências de quem já passou pelo projeto e que hoje vive da música. “Hoje o mercado musical conta com muitos profissionais oriundos do Projeto Banda Escola, por isso no início do ano iniciamos esse projeto de troca de experiências para que nossos alunos se sintam mais motivados a continuarem nas aulas”, diz Micael Fideles, enfatizando ainda que, com o aumento da criminalidade, a cada dia que passa está mais difícil tirar os jovens do caminho da criminalidade.

O bate papo virtual com o músico Flaubert Viana acontecerá de forma gratuita, na próxima sexta-feira (19/03). Segundo o organizador, crianças e adolescentes de outras bandas do projeto também terão acesso a novas rodas de bate papo com ex alunos.

Jovens do Grande Dirceu ingressam no ramo musical por meio de projeto popular

Dezenas de jovens do Grande Dirceu, região localizada na zona Sudeste de Teresina, já realizaram o sonho de ingressar no ramo musical. Eles encararam essa nova jornada através da Banda Infanto Juvenil Maestro Duda, que funciona no Escolão do Parque Itararé. No último ano cerca de 80 jovens passaram pelo projeto, destes, 40 ainda estão atuando de forma ativa com aulas semanais realizadas de forma remota por conta da pandemia da Covid-19.

Através da banda os participantes têm acesso às aulas de guitarra, trombone, clarinete, saxofone, tuba, bateria, trompete, tudo de forma gratuita, dando oportunidade a jovens da região que em sua maior parte não têm acesso a cursos particulares. Com idade mínima de dez anos para ingressar na banda, muitos já estão atuando no mercado musical de forma profissional, como é o caso do Tiago de Oliveira, de 23 anos, que, em 2010, entrou no projeto e agora, além de ser microempresário, toca em bandas de forró da capital. “Entrei no projeto por curiosidade e não sabia manusear nenhum instrumento, com o tempo me apaixonei pelo trompete e hoje sou um profissional”, conta Tiago Oliveira, enfatizando ainda que além do aprendizado, ele teve forças para deixar as más influências.

Tiago de Oliveira, de 23 anos, entrou no projeto e agora, além de ser microempresário, toca em bandas de forró da capital.

Enquanto uns já atuam de forma profissional, outros trilham o mesmo caminho. Íkaro Eduardo, de 14 anos, entrou no projeto recentemente com o intuito de realizar o sonho de infância de tocar algum instrumento. “Estou muito feliz com minha desenvoltura na banda e agora o meu sonho é outro, quero entrar no mercado musical”, afirma íkaro Eduardo.

Outro que já foi aluno e que agora atua de forma profissional é o Maestro Gustavo Cipriano, que por sinal é o professor responsável por profissionalizar esses jovens. Ele conta que se sente realizado, pois foi aluno do escolão, da banda e agora pode ensinar à garotada tudo aquilo que aprendeu ao longo dos anos. “Entrei na banda em 1996 e em 2008 me tornei maestro. Hoje tento mudar vidas, pois como todos sabem, a luta para tirar um jovem do mundo da criminalidade é muito grande e sinto que estando aqui estou fazendo minha parte para um mundo bem melhor”, comenta o Maestro Gustavo Cipriano, enfatizando ainda que nunca pensou que um dia seria maestro.

A Banda Infanto Juvenil Maestro Duda faz parte do Projeto Banda Escola, que é mantido pela Prefeitura de Teresina, através da Fundação Cultural Monsenhor Chaves. Para mais informações sobre o projeto ou disponibilidade de vagas, basta acessar o site www.fcmc.teresina.pi.gov.br ou seguir as redes sociais da Fundação Cultural Monsenhor Chaves ou do projeto.

Instrumento musical popular na Europa atrai jovens de Teresina

Você já conhece ou já ouviu falar no clarinete? Ele é um instrumento que apesar de antigo ainda é bem desconhecido do grande público teresinense, porém é bastante popular na Europa desde a Idade Média. Em 1690, Johann Christoph Denner, clarinetista alemão, acrescentou à sua charamela uma chave para o polegar da mão esquerda, para que assim pudesse tocar numa abertura, o que lhe trouxe mais possibilidades sonoras. Surgiu, assim, o clarinete contemporâneo. Introduzido nas orquestras em 1750, foi um dos últimos instrumentos de sopro incorporados à formação orquestral moderna.

Bastante difícil de tocar em todo o seu potencial, o instrumento exige do músico dedicação e estudo para a boa execução das músicas. Somente neste primeiro trimestre de 2021, cerca de 100 teresinenses estão matriculados nos cursos online oferecidos pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Cultural Monsenhor Chaves.

Um dos alunos do projeto é o jovem Carlos Henrique Olegário, que sonha ser músico profissional. “Quando o professor me deu o instrumento para aprender eu comecei a gostar bastante dele. É difícil mas é muito bom de tocar e eu quero virar músico profissional”, conta o estudante da Escola Municipal Olímpio de Castro.

João Henrique, de apenas 14 anos, nunca tinha ouvido falar nesse instrumento, mas por intermédio de sua mãe, que tinha o desejo de ver ele matriculado em um dos cursos da Banda Escola, resolveu se matricular para aprender a tocar o clarinete. “Quando o projeto chegou no meu bairro, segui a orientação de minha mãe, pois seria para mim uma nova experiência”, conta João Henrique, enfatizando que está apaixonado pelo instrumento.

Melque Gabriel é clarinetista da Orquestra Sinfônica de Teresina e professor do Projeto Banda Escola, na Escola Municipal Olímpio de Castro, na zona Leste da cidade. Com nove alunos aprendendo clarinete, ele enfrenta os desafios do ensino a distância, necessário por conta das medidas de distanciamento social provocadas pela Pandemia da Covid-19.

“Este é um momento desafiador, por ser um instrumento de sopro, não podemos estar juntos dos alunos. Eu acho fantástico ensinar essas crianças um instrumento. A música eleva o ser, transmite felicidade e é uma poderosa ferramenta de inclusão social”, enfatiza o professor Melque Gabriel.

Jovens de Teresina estão buscando o curso – Foto: Arquivo – FMC

Projeto Banda Escola

O Projeto Banda Escola vem formando novos músicos em Teresina há 33 anos. Atendendo crianças e jovens dos bairros e povoados de Teresina cumpre um papel social muito importante, colocando novos instrumentistas no mercado musical e tirando crianças de situações de risco e as mantendo ligadas às escolas. Para mais informações sobre os cursos oferecidos ou novas oportunidades, basta acessar o site www.fcmc.teresina.pi.gov.br ou seguir as redes sociais da Fundação Cultural Monsenhor Chave.