Lei Aldir Blanc: Cantor Glauber Nery grava primeiro DVD

Através de políticas públicas voltadas para a área da cultura, diversos cantores de Teresina estão conseguindo realizar o sonho de gravar seus CD´s ou dvd´s profissionais. O cantor Glauber Nery (O Barão) é um desses exemplos. Recentemente ele teve a oportunidade de gravar o seu primeiro DVD profissional (DVD Glauber Nery – O Barão Sunset), que será usado para divulgar o seu trabalho.

Com 16 anos de carreira, O Barão mantinha uma rotina de cerca de 10 shows ao longo de uma semana, porém, com a pandemia, ele e os integrantes de sua banda tiveram que passar por um momento muito difícil, já que todas as agendas de apresentações foram canceladas devido as medidas restritivas de combate a propagação do coronavírus.
Sem ter como garantir a manutenção do trabalho, o cantor contou com os investimentos da Lei Federal Aldir Blanc, que, na capital, foi executada pela Prefeitura Municipal de Teresina, por meio de um edital lançado pela Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC).

“É muito bom saber que podemos contar com o poder público em um momento como esse, onde muitos artistas clamavam por apoio. Sem essa ajuda financeira da gestão pública, nós não teríamos como executar esse projeto que ajudará a alavancar nossa carreira, pois gravar um DVD é uma missão que requer um grande investimento financeiro”, conta o cantor Glauber Nery, afirmando ainda que além dele, diversos outros artistas da capital tiveram a mesma oportunidade.

O presidente da FMC, Scheyvan Lima, relatou que desde janeiro deste ano a cidade vem recebendo as intervenções culturais através do Edital da Lei Aldir Blanc. Segundo o gestor, os artistas tiveram a oportunidade de continuar expondo seus trabalhos e criarem meios para manter o sustento de suas famílias.

“A classe artística foi a primeira a ser afetada com essa pandemia, são inúmeros pais de famílias e jovens que tiveram um alívio financeiro por conta deste edital”, comenta Scheyvan Lima, informando que já ocorreram lives, lançamentos de livros, apresentações de teatro , música, dança, exposições e gravações de CD´s e DVD´s.

Somente em Teresina foram investidos R$ 6,5 milhões de reais em produções artísticas durante a pandemia, garantindo a viabilidade de 188 projetos espalhados por todas as regiões da cidade, abrangendo diversos artistas e profissionais da cultura por projeto.

Projeto Kombinado trás neste sábado grandes nomes da música teresinense

Acontece neste sábado (03), de forma virtual, a terceira edição do projeto Kombinados, que vem reunindo grandes nomes da música local. O mesmo é financiado pela Lei Federal Aldir Blanc, executada pela Prefeitura Municipal de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves.

De acordo com o músico e jornalista Henrique Douglas, um dos organizadores do evento, as apresentações aconteceram de maneira segura, atendendo às recomendações sanitárias por conta da pandemia da Covid-19. “Queríamos um evento como os de antigamente, onde o público ajudava engrandecer os festivais, porém sabemos que no momento atual o mais importante é preservar a saúde do público”, comenta Henrique Douglas, afirmando ainda, que em vez de aplausos, o público poderá participar com emojis e comentários ao longo da live.

Nesta edição irão se apresentar os artistas Ostiga Jr, Thyrso Marechal, Os Radiofônicos e a banda Modstock, que irão presentear o público com o melhor do rock. A live show irá acontecer a partir das 16h pelo instagram da Banda Os Radiofônicos, para assistir basta seguir a página @osradiofônicos.

O projeto “KOMBINADO” é um esforço coletivo da banda Os Radiofônicos para fazer a cultura circular pela cidade. Trata-se de uma Kombi estilizada acompanhada de uma estrutura sonora que permite shows musicais de forma rápida e compacta. O projeto quer circular por todas as regiões da cidade levando artistas e também agregando artistas da região por onde passe.

 

Projeto musical apoiado pela Lei Aldir Blanc será lançado em junho

A pandemia do coronavírus tornou mais evidente a importância da música na vida das pessoas. Apesar disso, os artistas foram os mais afetados com as medidas tomadas para a mitigação da pandemia e diminuição do contágio do vírus. Foram os primeiros a parar e não conseguem voltar com o ritmo total a trabalhar.

As melodias e arpejos do cavaquinho são figuras principais do novo trabalho do músico Betto Ribeiro. O trabalho é fruto de experiências musicais adquiridas nos 15 anos de carreira do artista e pode ser concretizado através da Lei Aldir Blanc, aprovada para auxiliar os artistas brasileiros durante a pandemia do coronavírus.

O projeto leva misturas sonoras dos gêneros mais tradicionais em que o cavaquinho é personagem que são o samba e o chorinho. Com participações especiais de músicos piauienses, o EP será lançado em junho e estará disponível nas plataformas digitais. “Como artista independente nunca consegui lançar um projeto como esse e ser contemplado no edital me ajudou a entregar um trabalho de excelência”, conta orgulhoso o músico.

A Lei Aldir Blanc foi elaborada para auxiliar o setor cultura e liberou R$ 3 bilhões para os estados, municípios e o Distrito Federal que foram destinados a manutenção de espaços culturais, pagamento de três parcelas de uma renda emergencial a trabalhadores do setor que tiveram suas atividades interrompidas, e instrumentos como editais e chamadas públicas. Sete projetos foram contemplados através da Prefeitura Municipal de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves.

Para mais informações sobre as ações desenvolvidas pelo poder público municipal na área da cultura, basta acessar o site cultura.teresina.pi.gov.br ou seguir as redes sociais da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves.

 

 

FMC irá iniciar processo para pagamentos de 22 projetos da Lei Aldir Blanc

Após análise nos órgãos de fiscalização e controle do município, a Fundação Municipal de Cultura (FMC), irá iniciar o rito para o pagamento de 22 projetos contemplados pelo Edital da Lei Aldir Blanc no município de Teresina. A atual gestão não sabe até o momento o motivo da não liberação destes recursos no ano passado, conforme diz a Lei, porém ao tentar fazer as liberações dos recursos neste ano, não foram encontrados documentos que confirmassem diversos processos realizados no edital.

O atual presidente da Fundação Municipal de Cultura, Scheyvan Lima, conta que é preciso tratar o bem público com responsabilidade e que por isso foi determinado que todo o processo referente ao Edital da Lei Aldir Blanc passasse por uma avaliação dos órgãos de controle e fiscalização do município. “Na administração pública é comum essa burocracia necessária, pois como são recursos públicos, temos que ter zelo”, afirma Scheyvan Lima, informando ainda que nesta manhã esteve na prefeitura para tratar com o prefeito Dr. Pessoa a liberação dos valores.

O músico Fernando Soares é um dos contemplados que ainda não havia recebido os valores, ele conta que ficou muito feliz com a liberação e que agora irá iniciar a gravação de uma música autoral e um clipe promocional. “Somente na minha banda esse projeto vai beneficiar dez músicos que sem esse auxílio, não teriam como dar andamento a esse novo projeto que fará uma homenagem a uma pessoa da cidade que perdeu a vida para a depressão”, comenta Fernando Soares.

Dividida em duas linhas, o edital do programa financiado pelo Governo Federal destinou mais de R$ 6,5 milhões para os trabalhadores e as trabalhadoras da cultura, iniciativas e espaços culturais de Teresina. Dos 188 projetos aprovados, apenas 22 propostas ainda não receberam os recursos, os mesmos deverão ser repassados nos próximos dias.

Lei Aldir Blanc: Laisla Maranhão e banda promovem live show neste domingo (07)

Com a aplicação das medidas restritivas por conta da Pandemia da Covid-19, as lives passaram a fazer parte do dia-a-dia dos teresinenses e vários artistas aderiram a esse formato de está próximo ao público sem o colocar em perigo. Neste domingo (07), é a vez do público acompanhar a live de Laisla Maranhão e banda, que ocorrerá às 20 horas no canal da cantora no YouTube.

Laisla Maranhão tem 29 anos e desde a infância, inspirada no pai, já mostrava o seu interesse pela arte de cantar e tocar instrumentos. “Fico feliz por ter sido contemplada no Edital da Lei Aldir Blanc, os recursos recebidos deram um alívio muito bom para mim e meus parceiros de banda neste momento em que praticamente estamos com nossas apresentações reduzidas”, conta Laisla Maranhão, enfatizando ainda que a live tem como objetivo levar música (com mistura de ritmos), alegria, alto astral e saúde emocional para os seguidores e público em geral no conforto e proteção de suas casas.

O projeto é resultado da aprovação no edital para propostas culturais de articulação coletiva da Lei Federal Aldir Blanc de fomento à cultura, desenvolvido pelo Governo Federal e executado pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Cultural Monsenhor Chaves. Para assistir a live de Laisla Maranhão você deve seguir a página youtube.com/laislamaranhao.

Galeria do Mercado Velho abre exposição A MA RIA nesta quarta (10)

Inicia nesta quarta-feira (10) e segue até o próximo dia 25 de março, na Galeria do Mercado Central, no Centro de Teresina, a Exposição A MA RIA, do artista plástico Marcos Pê, que fala sobre Maria, que para o artista é o prefácio da vida de todos. O pródromo da existência do afeto.

Marcos Pê conta que Maria é o primeiro nome subjacente a qualquer mulher. É um feminino além do gênero. “Mulher Maria ou Maria Mulher é sempre uma referência automática à poesia, resistência e uma vocação natural para as lutas. Maria também é o sexo forte, a fé da adoração dos rosários e dos joelhos postos. Maria é ventre, germina, floresce, brota. Nada combina mais com Maria do que vida”, diz Marcos Pê, afirmando ainda que nada combina mais com arte do que Maria.

O artista é natural de Cajazeiras (PB) e reside em Teresina-PI desde 1983. Além de artista plástico, ele é publicitário. Ilustrou vários livros: No altar da poesia, Um mar de poesia, Cantadores, Cancela Velha, Outros mares, Invernia, O que é poesia, Inspiração e outros.

Como diretor de arte do longa-metragem João, foi também responsável pela reconstrução artística das sequências de dramatização.

A Exposição A MA RIA é financiada através de recursos da Lei Federal Aldir Blanc, executada pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Cultural Monsenhor Chaves. Para acompanhar mais ações desenvolvidas na Galeria Cultural do Mercado Central, basta acessar o site fcmc.teresina.pi.gov.br ou seguir as redes sociais da Fundação Cultural Monsenhor Chaves.

A Galeria do Mercado Central funciona de segunda a sexta das 9h às 17h e aos sábados das 9h às 13h, no Mercado Central de Teresina.

Live da Banda Discobertos acontece hoje e terá o melhor da Jovem Guarda e Disco

Na noite desta quarta-feira (20), será realizada, via YouTube, a “Live Emoções” da Banda Discobertos, que promete canções inesquecíveis das décadas de 50, 60 e 70. A banda promete uma hora e meia de recordações, com músicas de artistas como: Os Incríveis, Roberto Carlos, Renato e Seus Blue Caps, Pholhas, Frenéticas, ABBA e outros.

Formada por Thiago Damasceno, Agatha Silva, Ynácio Adriano, Cauê de Lima, Ednardo Damasceno e Lucas Cardoso a Banda Discobertos tem três anos de existência e se apresenta em bares, restaurantes e em eventos particulares de Teresina. Por conta da pandemia do COVID-19, a banda parou suas atividades e agora retorna.

O cantor Thiago Damasceno conta que a live tem o apoio financeiro repassado por meio do Edital da Lei Aldir Blanc, executado pela Prefeitura Municipal de Teresina, através da Fundação Monsenhor Chaves.

“A Lei Aldir Blanc tem dado oportunidade para diversos artistas da capital e esse apoio é muito importante para nossa classe, pois fomos um dos setores mais prejudicados durante o isolamento social”, comenta Thiago Damasceno.

A Live Emoções começa às 20 horas e terá transmissão ao vivo pelo YouTube. Para assistir basta entrar no canal youtube.com/bandadiscobertos.

Comunicado Lei Aldir Blanc

A Gerência de Promoção Cultural da Fundação Monsenhor Chaves (FMC) orienta os proponentes contemplados pela Lei Federal Aldir Blanc a aguardarem a resolução da Procuradoria Geral do Município, solicitada pelo Departamento Jurídico da FMC em função da situação pandemica estadual.

A FMC estuda a possibilidade de estender o prazo para a realização dos projetos e sua devida prestação de contas para o dia 30/12/2021, devido a preocupação da entidade para com saúde dos participantes.

Para mais informações, entre em contato com a FMC através do número (86) 3215-7815 ou pelas redes sociais (@cultura_the).

“Faz! Doc”: projeto promove oficina gratuita em Teresina

Trabalhar com audiovisual não é uma tarefa fácil, mas essa atividade do ramo cinematográfico vem conquistando cada dia mais os teresinenses. Pensando nisso, um grupo de cineastas desenvolveu um minicurso para os admiradores dessa arte, ensinando e compartilhando experiências na produção de cinema documental. As inscrições vão até sexta-feira,15, e as aulas serão online.

O “Faz!Doc” é um dos projetos contemplados pela Prefeitura de Teresina, através da Fundação Monsenhor Chaves (FMC), na Lei Federal de Emergência Cultural Aldir Blanc e busca promover um debate com profissionais renomados do universo audiovisual, aprofundando os ensinamentos da área.

“A gente pensou nessa oficina de forma que ela pudesse trazer um pouco de formação na área e aliar isso às experiências pessoais tanto dos organizadores, como dos convidados e inscritos”, afirma Ana Clara Ribeiro, uma das idealizadoras do projeto.

A oficina é gratuita e as aulas são voltadas para jovens e adultos (maiores de 18 anos) com conhecimento prévio sobre o assunto. Ao todo, serão ofertadas 20 vagas e os inscritos estarão sujeitos a uma seleção. Para participar, basta acessar o link disponível nas redes sociais da oficina (@oficinafazdoc) e realizar o cadastro.

O resultado da seleção será divulgado dia 22 deste mês e as aulas iniciam dia 2 de fevereiro. A oficina contará com a participação de Iana Cossoy (roteirista), Joelma Oliveira (produtora), Eliza Capai (diretora), Manoela Ziggiatti (editora), Renato Galamba (agente de vendas) e Josephine Bourgois (Projeto Paradiso).

Sobre a Lei

A Lei Federal nº 14.017/2020, também conhecida como Lei Aldir Blanc, destina o pagamento de um auxílio emergencial a artistas, produtores, técnicos e espaços culturais como forma de auxiliar um dos setores mais afetados pela pandemia do coronavírus.

Ação de rua do Balé da Cidade de Teresina fala sobre distanciamento social

A flexibilização do isolamento social é uma realidade em meio a essa pandemia. A população já voltou a sair de casa para trabalhar e realizar outras atividades. No entanto, para muitos, isso criou uma falsa sensação de que não estamos mais em alerta de saúde. Pensando em testar essa saída do isolamento e a vontade de estar próximo, o artista da dança e coreografo do Balé da Cidade de Teresina Adriano Abreu propôs a ação de rua “Comensura”.

“A proposição veio de uma necessidade de estar junto de novo, de testar essa primeira saída em um mundo vivendo com uma pandemia. É vontade de estar próximo, de viver o novo mundo, sabendo que existe uma medida exata que nos distancia”, explica Adriano Abreu.

A ação de rua Comensura já ocupou as praças Rio Branco e João Luís Ferreira em dias distintos. Os bailarinos da Companhia estiveram nesses locais públicos e com grande fluxo de pessoas com o objetivo de criar uma reflexão e conscientização de que ainda estamos em alerta de saúde e que cuidados devem ser tomados.

Protegidos dos pés à cabeça, com instrumentos que criam distâncias físicas, os bailarinos nos lembram que a pandemia ainda existe e está novamente ganhando força. “Comensura representa essa primeira saída nesse novo mundo que permitiu novamente ter o contato e realizar a vontade de estar próximo. Só que essa junção, de sair e de estar próximo, agora tem uma medida exata. Estamos o tempo todo calculando, percebendo e sentindo, mas agora de uma medida certa para se ter de um para o outro”, finaliza Adriano.

 

Sobre a Companhia

O Balé da Cidade de Teresina é uma companhia pública de Dança Contemporânea que vem atuando no cenário artístico local e nacional, contribuindo com o desenvolvimento e aprofundamento da dança piauiense. Vem aproximando a dança da cidade através da sua atuação compromissada em diferentes ações, como temporadas de apresentações públicas, conversas e formação continuada.

O Balé da Cidade de Teresina conta com 18 bailarinos e é mantido pela Prefeitura Municipal de Teresina, por meio da Fundação Monsenhor Chaves (FMC) e da Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina. Tem direção geral de Chica Silva, coordenação artística de Janaína Lobo e ensaios de Carla Fonseca.