O teatro é uma experiência marcante e humana na vida de muita gente. Na capital piauiense, além de ser palco para grandes espetáculos, tem sido uma fonte reveladora de novos talentos, são jovens e adultos que a cada ano ingressam no ramo cultural por meio dos cursos oferecidos pelos teatros mantidos pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Desde o ano passado, com o início das restrições por conta da Pandemia da Covid-19, estes espaços foram fechados e só voltarão a ser abertos para atividades com público após a vacinação completa de todos os teresinenses, isso para evitar que mais pessoas corram o risco de contaminação.

Um desses espaços é o Teatro do Boi, que desde 1987, é tido como o coração cultural da zona Norte, o mesmo está em um espaço que funciona como um Centro Integrado de Cultura no bairro Matadouro, possibilitando a inclusão social da comunidade que vive em seu entorno.

Para Antoniel Ribeiro, gerente cultural do teatro, o espaço vem ao longo dos seus 33 anos dando oportunidades para artistas da região e formando jovens e adultos que sonham em ingressar no ramo cultural. Ele destaca que apesar de fechado, o teatro vem funcionando internamente e que após a reabertura a comunidade terá acesso a novos projetos.

“Além da escala de rodízios dos funcionários, o teatro está preparando vários projetos para quando acabar a pandemia, voltar com os cursos de teatro presenciais, bijuterias, corte e costura, capoeira, percussão e as turmas do balé”, destaca Antoniel Ribeiro, informando ainda que hoje o local conta com cursos oferecidos de forma remota.

Outro importante espaço cultural da cidade é o Teatro João Paulo II, localizado no bairro Parque Ideal, na zona Sudeste de Teresina, que também está com as portas fechadas ao público por conta da pandemia. Para continuar oferecendo serviços à população, estão sendo ofertados cursos remotos que atualmente atendem cerca de 50 moradores da região.

Lorena Mendes, de 27 anos, é acadêmica de Educação Física e mora no entorno do Teatro João Paulo II, ela conta que o curso de violão tem ajudado ela a encarar o isolamento social sem prejudicar o seu psicológico. Focada no trabalho e nos estudos, a jovem ainda não pretende atuar na área musical, porém não descarta essa possibilidade.

Lorena Mendes é aluna do curso de violão do Teatro João Paulo II.

“A princípio quero concluir meu curso universitário, muito válido, pois não deixa de ser um instrumento para abrir novas oportunidades profissionais. Com a pandemia muitos estão tendo que se adaptar para continuar tendo um trabalho digno”, conta Lorena Mendes.

Scheyvan Lima, presidente da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, lembra que, além das duas casas citadas à cima, também existe o Teatro de Arena, casa de espetáculos a céu aberto que funciona na Praça Marechal Deodoro da Fonseca, no Centro da cidade e que também é um dos importantes celeiros culturais.

“Neste mês do teatro não pudemos fazer eventos nestes locais, porém tão logo todos sejam vacinados, iremos iniciar novos projetos, projetos estes que visam aproximar mais ainda estes espaços das comunidades”, afirma Scheyvan Lima.

Para mais informações sobre os teatros ou para ficar atento(a) ao calendário de cursos, basta acessar o site fcmc.teresina.pi.gov.br ou seguir as redes sociais da fundação e dos teatros.

 

 

 

Comentários (1)

  • Antoniel Ribeiro

    Estamos preparando os nossos espaços para receber o público em geral, principalmente a comunidade que está tão ansiosa para os nossos projetos. Viva o teatro, viva os nossos artistas teresinenses.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).